Já sei que não postei ontem, não precisa me lembrar. Mas olha que divertido: hoje tem post, migas!


HAHAHAHA
Eu disse.
Eu sabia.
Chegaria o grande momento em que eu não conseguiria cumprir com esse desafio. Não deu para postar ontem e eu estou entrando no modo de “não saber o que escrever”. Posso fazer nada. Como isso aqui é meu e eu quem mando, hoje é ontem e eu vou postar. Como diria Gandalf: “Um mago nunca chega atrasado, nem adiantado. Ele chega exatamente quando quer chegar”. Pronto. Eu sou um mago. Mare, a (ranger) rosa.

Eu sei que é difícil de acreditar, mas eu tenho uma vida fora desse simulacro aqui. Eu estava vivendo, por isso não postei.
Existem algumas maneiras de se lidar com o fracasso. Fracasso sim porque a ideia do BEDA já foi quebrada, não postei todo dia. Eu poderia parar de vez ou me virar e escrever dois posts.
Sabemos o que eu escolhi.
A grande questão das coisas é essa:

O que você escolhe fazer quando falha?

Costumo dizer que o que se faz depois do erro é o que importa, não o erro em si. Quando alguém nos magoa, por exemplo, tento pensar mais sobre o que a pessoa fará em seguida, do que necessariamente no que ela errou. Se ela pede desculpas, se ela conversa, se ela tenta mudar ou se simplesmente não faz nada — isso diz muito sobre a pessoa, e diz mais do que o erro que ela cometeu.
Não dá pra ser dicotômico, ações são mais forte que palavras. Não é sobre termos sangue de barata e desculpar todas as coisas. É sobre saber ver que todo mundo erra e que é possível julgar as coisas de forma mais justa e sensata.

A gente não tem como saber o que se passa com outra pessoa e ver seus motivos para fazer as coisas. Às vezes, nem elas sabem. Precisamos ter isso em mente. Aquela história de ver os dois lados da moeda…

É importante ser humilde para se desculpar, e ser humilde para perdoar (a si mesmo, inclusive!). Isso é sinônimo de paz!

O que eu realmente quero dizer com isso é:
me perdoem pelo post de ontem.
Me amem.

#BEDA07


Mare

Anúncios