Um breve texto que mostra como as coisas são no fim de ano, chega mais, vem ler…

Fim de ano é sempre igual.

Você sempre mentaliza que fez um bom trabalho durante os doze meses que passaram, se convence de que sua produção foi boa, que estudou o suficiente, que fez muito.
Aí você quer mais.

Projeta um ano novo inteirinho de planos, de ajustes. Vai pintar o cabelo, fazer academia e uma dieta, vai comprar um celular novo, vai arrumar um emprego e/ou estudar mais.
No ano novo tudo vai mudar.
O crush vai parar de te ignorar, sua série favorita vai ser renovada, você vai tirar sua carteira de motorista. Você vai até ter uma namoradinha para falar pra sua tia no ano que vem.

No ano novo tudo vai mudar.
No ano novo tudo vai mudar.
No ano novo tudo vai mudar.

Talvez você tenho ido passar a virada na praia, saiu com sua família. Está tentando achar um bom lugar para ver a queima de fogos, mas a praia está assustadoramente lotada. Você tem que andar sem encostar nas pessoas, nas garrafas de vidro no chão, nas oferendas na areia. Você já encontrou todas as pessoas que você conhece, e todas com as quais você já estudou na vida… Porque claro, todo mundo teve a mesma ideia: passar o réveillon na praia!

É trinta e um de dezembro, 23:59. Você está de olhos fechados torcendo por esse pedido besta de virada de ano.

Essa é a expectativa.

É primeiro de janeiro, 12:00. Almoço em família. Idêntico ao ano passado.
Seu tio fez a piada do pavê, porque teve pavê de novo. Sua prima precisa dizer a cada cinco minutos que está quase se formando e você não decidiu o que fazer da sua vida. Sua avó reclama que está com fome. Uma tia que você nunca viu na vida diz que sente sua falta. E o pior: tem passas no arroz.

Essa é a realidade.

A única coisa que mudou foi data no calendário.


Brincadeiras e verdades a parte, desejo a todos um ano repleto de coisas novas, boas notícias e menos gente chata pra encher o saco! Levantem suas bundas do computador e vão fazer algo para se orgulhar no fim 2016, ok? Então tá. No ano novo tudo vai mudar! 

Mare

P.S.: por favor, não façam a palhaçada do “página 1 de 366”; o ano é bissexto e ainda vai ter uma página brinde. Não façam isso, nunca te pedi nada.

Anúncios